RUI CATALÃO // MEDO A CAMINHO
Sex 4 Ago 21:30 // Teatro da Cerca de São Bernardo, Coimbra

Rui Catalão
© Alípio Padilha

A minha geração entrou na idade adulta com a confiança e o optimismo de uma série de acontecimentos que tiveram tanto de simbólico como de político, social e económico: a abertura à Europa, a entrada na CEE, o derrubar do muro que separava Berlim em dois, o fim da cortina de ferro.
Entretanto, no meio de percalços e conflitos vários, vivemos num mundo onde, dizem-nos as estatísticas, nunca houve uma relação tão dinâmica entre povos e territórios, nunca houve tantas pessoas a viverem acima do limiar de pobreza, nunca fomos tão saudáveis, com tanta esperança de vida, a viver em segurança, e com tão poucos conflitos.

Mas os factos parecem esbarrar contra outro muro: progressivamente, como um vírus que se alastra, as pessoas não se sentem mais seguras. Temem pelo futuro, temem pela guerra, temem pela sua vida, pela sua segurança, pelo seu trabalho, pelos seus padrões de vida, pelo ambiente. Temem pela própria saúde mental: é o medo a devorá-las sem pressa. Têm medo e querem erguer novos muros que as protejam do que temem. Têm medo e querem apagar, ou mesmo destruir, tudo o que nelas mantém esse medo bem desperto.
Estranho paradoxo em que as estatísticas nos dizem que nunca estivemos tão bem, e as pessoas sentem que nunca estiveram (ou caminham para) tão mal.
Há uma forma de explicar isto: nunca fomos bombardeados, e de forma tão rápida, com tanta informação. Sabemos mais hoje sobre o que se passa do outro lado do mundo do que há duas ou três gerações sabíamos sobre o que se passava numa cidade vizinha. Onde em outros tempos temíamos o desconhecido, hoje tememos pelo tanto que conhecemos.
Com “Medo a caminho” o que me interessa é outra possibilidade: será que o nosso medo é também uma forma de avançar, cheios de medo? Ou será antes que, do que mais temos medo é de nós próprios? E que a loucura colectiva (enquanto sinónimo de medo à solta) é a última fronteira em que combatemos no outro um inimigo que é o reflexo do nosso medo?
E será que podemos aprender a sorrir e a conviver com medos reais, tal como aprendemos a rir dos medos que se revelaram infundados?


Criação e interpretação: Rui Catalão e Luis Leonardo Mucauro
Produção: [PI] Produções Independentes
Produções Independentes é uma estrutura financiada pelo Ministério da Cultura / Direção Geral das Artes


http://www.producoesindependentes.pt

M/16; 60'


RUI CATALÃO // MEDO A CAMINHO
Sex 4 Ago 21:30 // Teatro da Cerca de São Bernardo, Coimbra


EDURNE RUBIO // LIGHT YEARS AWAY
Sab 5 Ago 21:30 // Teatro da Cerca de São Bernardo, Coimbra


LOOPSLISBOA // Tiago Rosa-Rosso Carvalhas // Patrícia Almeida // Pedro Vaz
Qui 10 a Sab 12 e Qui 17 de Ago, 18:00-22:00 // Álcaçova, Montemor-o-Velho


MIGUEL BONNEVILLE // A IMPORTÂNCIA DE SER PAUL B. PRECIADO
Qui 10 Ago 22:30 // Teatro Esther de Carvalho, Montemor-o-Velho


DAVID MARQUES + TIAGO CADETE // APAGÃO
Sex 11 Ago 22:30 // Teatro Esther de Carvalho, Montemor-o-Velho


ELENA CÓRDOBA // EL NACIMIENTO DE LA BAILARINA VIEJA
Sab 12 Ago 22:30 // Sala B, Montemor-o-Velho

LÍGIA SOARES // ROMANCE
Qui 17 Ago 22:30 // Teatro Esther de Carvalho, Montemor-o-Velho


BRUNO HUMBERTO // A MORTE DO ESPECTADOR
Sex 18 e Sáb 19 Ago 22:30 // Garagem Auto-Peninsular, Figueira da Foz

WHALES
Dom 20 Ago 22:30 // Garagem Auto-Peninsular, Figueira da Foz