LOOPS.Lisboa

26 Julho / 3 Agosto (15:00/19:00) - Casa das Artes Bissaya Barreto, Coimbra

25 Julho / ABERTURA

 

Loops.Lisboa resulta de uma parceria do Festival Temps d’Images e do Museu Nacional de Arte Contemporânea - Museu do Chiado (MNAC), a que o Citemor está associado desde a primeira edição. Este ano apresenta um conjunto de obras, seleccionadas entre 197 submetidas, que marcadamente possuem o “manual”, o “mecânico”, o “artesanal” ou mesmo o “sujo”.

"Aquela velha questão do som e da imagem", de João Bento, brinca com o sync audiovisual, sobrepondo camadas de informação diante de um plano fixo, para criar um loop-janela de beleza particular, directamente associado à lógica do pré-cinema.

“Período Azul”, de Mané, combina o papel, a cor azul e algumas obras icónicas da Arte dos séculos XX e XXI para estabelecer um loop conceptual construindo um ciclo de inter-relação e permanência.

E “O Guarani (direita ou esquerda)”, de Letícia Larín, empurra-nos para um loop formal e semiótico desconcertante, ao retratar o catastrófico momento social e político do Brasil.

O mais fascinante deste encontro de obras reside na sua capacidade de ultrapassar a dimensão "analógica" representada por canetas, papéis, tintas, manivelas, fotografias... O que as une, sobretudo, são conceitos atemporais como o desejo pela materialidade, a inteligência do contexto e a busca pelo bom senso.

De forma muito vincada, todos reflectem uma essência filosófica por trás do loop: todas as coisas pertencem a ciclos. Life is a loop. E a Arte possui o dom essencial de o demonstrar.

 

Júri de Pré-seleção: Irit Batsry (presidente), Alisson Avila e António Câmara Manuel

Júri de Premiação: Emília Tavares (presidente), Isabel Nogueira e Sandra Lischi



João Bento

JOÃO BENTO // Aquela Velha Questão do Som e da Imagem
Uma paisagem que se move (através das bobines encontradas num cinema velho e devoluto), um observador fixo e uma banda sonora.

Este vídeo corresponde a um período de pesquisa e investigação levado a cabo no final dos anos 90, na qual explorava exaustivamente questões que se relacionavam com a fotografia, o cinema, o vídeo e o som. Questionando assim estes diferentes mas complementares  suportes, transformando-os através do uso de outros meios artísticos e preservando o seu modo arcaico de funcionamento através das características próprias de cada um deles. Abrindo desta forma um salto para lá da objectividade que caracteriza a fotografia, onde através de um corpo maior de trabalho daqui derivado explorava o modo como olhamos e reenquadramos mentalmente uma imagem fixa.  A fotografia estabelece uma fixação num tempo específico que não se apaga fisicamente em direcção a outro momento. Este apagar apenas ocorre ou pode decorrer no nosso sistema perceptivo.  Característica humana contrária à reprodutibilidade sonoramente mecanizada da fotografia.
Começou para mim aqui uma grande questão entre o som e a imagem.

Vídeo, Conceito e Fotografia: João Bento 

Música: David Leitão

2000, 2’47’’



Mané

MANÉ // Período Azul

A revisitação de obras icónicas de ‘grandes mestres da arte’ (do séc. XX ao presente) por ordem não necessariamente cronológica é centrada na cor azul, ponto de partida para a narrativa que se desenrola (literalmente) sobre um rolo de papel. Este é, sucessivamente, rodado/desenhado/rodado, num movimento mise en abîme que reproduz materialmente o loop imaterial da imagem. 
A construção de imagens icónicas (e irónicas) faz-se, inicialmente, a partir das ferramentas tradicionais do desenho/pintura, media que vai sendo substituído por objectos domésticos/íntimos, culminando numa sugestiva masturbação. 
O loop reformula o significado das acções e dos objectos convocados. O efeito de espelho entre o loop e o seu reflexo sublinha a repetição (sistemática) de uma tendência (sistémica) nos momentos significativos de transição na arte ocidental, assinalando a constante nas convenções substituídas e substituintes. A página volta sempre a ficar em branco: pronta a ser reescrita.

Realização e Produção: Mané 

Imagem e Edição: Mané e Bernardo Fachada 

Agradecimentos: Ana Cristina Cachola, Marta Espiridião, Tiago Pereira e João Rosas

2018, 11’45’’

 


Leticia Larin

LETÍCIA LARÍN // O Guarani (Direita ou Esquerda)

Acompanhando o som da música “O Guarani” de Carlos Gomes, as mãos direita e esquerda revezam-se para desenhar com caneta esferográfica vermelha, círculos no meio da bandeira do Brasil. Ao invés de concluir um desfecho, o movimento reitera-se numa continuidade de idas e vindas: a música e a acção invertem-se, regressando ao ponto de partida.


Vídeo-performance de Letícia Larín

2018, 19’07’’



JULHO

25 Quinta a 3 Agosto (15:00/19:00) - Casa das Artes Bissaya Barreto, Coimbra // LOOPS.LISBOA


25 Quinta 18:00 - Casa das Artes Bissaya Barreto, Coimbra // Lançamento do Livro “Dissecação de um Cisne” de MIGUEL BONNEVILLE


25 Quinta 21:30 - Teatro da Cerca de São Bernardo, Coimbra // JOÃO FIADEIRO // From afar it was an island. De perto, uma pedra


25 Quinta 23:30 - Salão Brazil, Coimbra // MIGUEL  BONNEVILLE // Dj Set BlackBambi


26 Sexta 21:30 - Teatro Académico de Gil Vicente, Coimbra // IVÁN HAIDAR // Otra Línea - Todo tiempo presente construye un pasado


27 Sábado 22:30 - Teatro Esther de Carvalho, Montemor-o-Velho // PAULA DIOGO // Terra Nullius


AGOSTO

1 Quinta e 2 Sexta 22:30 - Teatro Esther de Carvalho, Montemor-o-Velho // SÓNIA BAPTISTA // Triste in english from spanish (redux)


3 Sábado 22:30 - Sala B, Montemor-o-Velho // JOHN ROMÃO e SILVIA COSTA // As Tentações de Santo Antão


8 Quinta, 9 Sexta e 10 Sábado 22:30 - Pavilhão Multiusos, Carapinheira // RODRIGO GARCÍA // PS/WAM


9 Sexta e 10 Sábado 19:30/21:00 - Rua das Flores, Montemor-o-Velho // SUSANA PAIVA // Anatomia de uma imagem


15 Quinta e 16 Sexta 22:30 - Núcleo Museológico do Sal, Figueira da Foz // TEATRO DO VESTIDO // Mãos gretadas (ainda às voltas com o sal)


17 Sábado 19:30/21:00 - Rua das Flores, Montemor-o-Velho // SUSANA PAIVA // Anatomia de uma imagem


17 Sábado 22:30 - Sala B, Montemor-o-Velho // ROCÍO MOLINA // Impulso Citemor


JUNHO

15 Sábado 22:00 - Centro de Artes e Espectáculos, Figueira da Foz // ROCÍO MOLINA // Caída del Cielo



No acesso a todos os espectáculos é o espectador que define o preço do bilhete

Apoios