1 Quinta 22h30 \\ TOCA - Montemor-o-Velho

FRANCISCO RUIZ de INFANTE

JAMÁS - JAMÁS (ruído de sirenas)

residência de criação, coprodução, estreia

© RANCISCO RUIZ DE INFANTE

Com esta residência em Montemor-o-Velho, continuamos a desenvolver a série de atos performativos do projeto “Jamás-Jamás”. Uma aventura cénica vertiginosa que oferece uma leitura contemporânea das palavras, imagens, e perguntas esquecidas-reativadas em “Peter Pan” de J. M. Barrie (1911).


Algumas pessoas sabem (sabemos?) que alguém nos ensinou a voar, faz muito tempo e que agora, todos e todas voamos muito bem e muito rápido. Mas o problema é que nos esquecemos de como aterrar, como descer lentamente, olhar a paisagem, compreender e, após planar suavemente, desligar os motores.

O estranho 2020 já passou, 2021 também, o perigoso biénio 2022-23 terminou e estamos ainda mais distantes.

Acreditamos nas fadas? Acreditamos nos factos? Acreditamos nos “fakes”? Importa saber! Em qualquer caso, antes de saber navegar, sabíamos mergulhar e surfar. Agora voamos… e muito rápido.


Aqui estaremos na metáfora de uma sociedade sombria lançada a uma velocidade exponencial e que, literalmente, não sabe onde aterrar. E quer aterrar?

Aqui estaremos diante e dentro de um mundo adicto da indigestão. Adicto do “crash”?

Aqui estaremos num conto maravilhoso habitado por crocodilos obscuros, perigosas sereias, piratas, fadas e sobretudo “crianças perdidas”. Crianças irreverentes? Seguramente!

Aqui, sem dúvida, estaremos na dupla negação de “Jamás-Jamás” para questionar melhor os perigos de um terrível “sempre”.


Nesta nova etapa do projeto, que evolui de formas diversas desde 2020, realidades e ficções vão enfrentar-se para produzir estranhas faíscas, pós quase mágicos e algumas maratonas nódoas negras/hematomas.

_FRANCISCO RUIZ DE INFANTE




Conceção, dramaturgia, imagem, som e texto Francisco Ruiz de Infante

Olhar coreográfico Olga Mesa

Dispositivos audiovisuais Francisco Ruiz de Infante com a participação de Nicolas Brunelle

Imagens 3D Paul Jacques Yves Guilbert

Interpretação Étienne Fanteguzzi, Nicolas Brunelle, Olga Mesa, Francisco Ruiz de Infante e a participação de “la traductora”.

Coprodução e apoios Azkuna Zentroa (Bilbao), CNDC Pôle Sud (Strasbourg), Festival Proyector (Madrid), Festival Citemor (Montemor-o-Velho), Azala (Álava), Maison Laurentine (Chateauvillain), Art By Matters (Hangzou, China) e Universidade de Montpellier

Apoio à difusão internacional Región Grand Est - França



https://www.fueradecampo.org 



M/12; 60m

FacebookInstagramYouTube